terça-feira, 7 de maio de 2019

Após Bolsonaro cortar verba, hospital no Ceará pode fechar

O bloqueio de 30% no orçamento da Universidade Federal do Ceará (UFC), mediante determinação do governo federal, representa uma perda de mais de R$ 45 milhões aos cofres da instituição. Além de dificultar o pagamento de despesas e interferir em novos investimentos, o percentual retido pode impactar ainda no funcionamento do Hospital Universitário Walter Cantídio e na Maternidade Escola Assis Chateaubriand.

A informação é do reitor Henry Campos, repassada durante entrevista ao G1, na segunda-feira (6). Sem dimensionar os prejuízos da medida anunciada pelo Ministério da Educação (MEC) no último dia 30 de abril, ele confirma a possibilidade de os dois hospitais universitários ligados à UFC terem dinâmica alterada.


“Poder, pode, porque eles também se beneficiam de atividades de ensino e de pesquisa”, pondera o reitor, explicando ainda que, embora as unidades não recebam verba do MEC para funcionar, a falta de recurso suficiente impossibilita a execução de atividades de extensão dos estudantes. “Eu não quero nem imaginar, porque isso não seria uma coisa drasticamente imediata, mas seria progressivamente e isso teria um peso nas atividades do hospital e da maternidade, influenciando até numa redução da qualidade do serviço prestado”, considera.



Fonte: Brasil 247
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário