segunda-feira, 6 de maio de 2019

A CASA CAIU: Após 4 meses, Justiça não encontra nenhuma evidência de que Queiroz negociava carros

Promotores do Ministério Público (MP-RJ) não encontraram evidências de que a movimentação atípica de R$ 1,2 milhão feita por Fabrício Queiroz se deve à compra e venda de carros e outros negócios informais. O valor foi identificado pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Em entrevista ao SBT, no final do ano passado, o ex-assessor afirmou que era “um cara de negócios” e que comprava e revendia carros.


Como consequência da falta de elementos que comprovem esse tipo de negociação, o Ministério Público do Rio de Janeiro pediu a quebra de sigilo fiscal do filho de Bolsonaro e de seu ex-assessor.



O MP localizou o nome de Queiroz somente em dois carros antigos. Um Ford Del Rey Belina marrom, modelo 1985-86, e um Voyage preto, modelo 2009-10. Não há registro de outros automóveis ou mesmo foram identificadas outras transações.


Fonte: Brasil 247
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário