terça-feira, 2 de abril de 2019

Vereador do PSL de BH é preso por praticar esquema parecido com o de Flavio Bolsonaro

No final de semana, o vereador participou das "comemorações" do golpe de 64 na capital mineira

O vereador Cláudio Duarte (PSL) teve a prisão preventiva decretada, na manhã desta terça-feira (2), em Belo Horizonte. A suspeita da Polícia Civil é que Duarte tenha praticado o esquema de ‘rachadinhas’ com funcionários de gabinete – quando o parlamentar fica com parte da remuneração do trabalhador.
O esquema é parecido com o que Fabrício Queiróz, ex-assessor e motorista de Flávio Bolsonaro na Alerj é suspeito de ter operado no gabinete do então deputado, filho do presidente Jair Bolsonaro.

Ele e um funcionário de seu gabinete, provavelmente o seu “laranja”, foram conduzidos para o Departamento de Fraudes da Polícia Civil para prestar esclarecimentos.
Todos os computadores de Duarte foram apreendidos pela polícia. A assessoria do vereador não comentou o caso e disse que ainda apurava a situação.
Os agentes estiveram na Câmara Municipal de Belo Horizonte, na casa de Cláudio Duarte e na União dos Moradores pelo Desenvolvimento Social do Bairro Céu Azul (UMCA), entidade comunitária que desenvolve projetos educativos, culturais e sociais na Regional Pampulha fundada por ele.

Convocação para as comemorações do golpe em BH. Foto: Divulgação

Cláudio Duarte é natural de Tiros, no Alto Paranaíba. Em 2017, Cláudio da Drogaria Duarte assumiu pela primeira vez um cargo eletivo na Câmara Municipal de Belo Horizonte, depois de ter obtido 4.513 votos nas eleições.
No final de semana, o vereador participou das “comemorações” do golpe de 64 na capital mineira. Ele fez várias postagens divulgando o evento. veja abaixo:

Fonte: Revista Fórum
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário