quinta-feira, 4 de abril de 2019

Reinaldo Azevedo: Livros pró-golpe de Vélez seriam improbidade administrativa. E estupidez

A delinquência intelectual dessa gente é insaciável. E, se vocês notarem, os valentes não param. Não passa dia sem uma estupidez. O pior é as bobagens nem mesmo têm um eixo porque a miríade de extremistas de direita também não se entendem. Cada grupo reivindica a sua própria cota de estupidez. Vejam o que vai na Folha. Volto em seguida. * O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, afirmou que serão feitas mudanças no conteúdo dos livros didáticos do país no que diz respeito ao golpe militar de 1964 e a ditadura que se seguiu durante 21 anos. Para o ministro, não houve golpe, e o regime militar não foi uma ditadura. As declarações foram dadas em entrevista ao jornal Valor Econômico. "Haverá mudanças progressivas [no conteúdo dos livros didáticos] na medida em que seja resgatada uma versão da história mais ampla", afirmou Vélez. "O papel do MEC é garantir a regular distribuição do livro didático e preparar o livro didático de forma tal que as crianças possam ter a ideia verídica, real, do que foi a sua historia."


Leia mais no UOL
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário