sábado, 27 de abril de 2019

Mônica Bergamo: Paralisação do Mais Médicos pode causar 100 mil mortes precoces no Brasil

O Brasil pode registrar 100 mil mortes consideradas evitáveis até 2030. Os óbitos seriam consequência de uma eventual paralisação do programa Mais Médicos e do congelamento dos gastos federais na atenção básica de saúde no país, com o teto de gastos.

PESQUISA

Os dados são de dois estudos feitos pelo Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (UFBA), em colaboração com pesquisadores da Universidade Stanford, nos EUA, e do Imperial College, em Londres.

TÍTULO 

Um deles foi publicado nesta sexta (26) na BMC Medicine, uma das principais revistas médicas do mundo. O estudo analisou dados de 5.507 municípios brasileiros em uma projeção de 2017 até 2030. O levantamento não inclui os óbitos em maiores de 70 anos.

CONSULTA 

De acordo com a pesquisa, as principais causas de morte seriam em decorrência de doenças infecciosas e deficiências nutricionais. 

CADEIRA VAZIA 

A sucessão na reitoria da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) ainda é uma incógnita. Quem indica o novo reitor é o presidente da República e há uma tradição de nomear o mais votado da lista do colegiado. Mas não se sabe se Jair Bolsonaro irá seguir isso, já que não há uma obrigatoriedade. 

ESCOLHA 

A biofísica Denise Pires de Carvalho venceu as eleições e deve encabeçar a lista que o colegiado vai enviar ao presidente no próximo dia 30. Ela não é filiada a nenhum partido, mas já se declarou contra pontos defendidos por Bolsonaro, como o patrulhamento ideológico na educação.

PARA TUDO

Em 1998, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso não seguiu essa tradição e gerou uma crise na universidade. O atual reitor, Roberto Leher, é filiado ao PSOL e já foi criticado por correligionários de Bolsonaro.

PARA ELAS

A Associação Nacional das Defensoras e Defensores Públicos (Anadep) vai lançar uma campanha em favor das mulheres que necessitam de acesso à Justiça para a garantia dos seus direitos. A iniciativa será apresentada no dia 3 de maio no vão do Masp.

Leia mais na Folha de São Paulo
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário