segunda-feira, 1 de abril de 2019

Justiça pede prisão de Youtuber bolsonarista por ofender estudante inocente

O Ministério Público de São Paulo pediu ao Juizado Especial de Embu das Artes que o youtuber Nando Moura seja condenado pelos crimes de injúria e difamação por ter chamado uma estudante do interior de São Paulo de "vagabunda" por três vezes em um vídeo que teve mais de 100 mil visualizações na internet. O MP requereu uma pena de dois de prisão.

Segundo reportagem de Vinícius Segalla no Diário do Centro do Mundo, o episódio foi registrado no final de 2015, mas o processo ficou parado até janeiro deste ano pelo fato dos advogados da estudante não conseguirem "entregar a citação para o réu, conhecido defensor dos ideais de direita e do governo de Jair Bolsonaro". "Durante este tempo, oficiais de Justiça buscaram Moura nos endereços constantes em suas contas de telefone celular e outros serviços, e também na casa de sua mãe (que disse que o filho tinha se mudado dali, mas que ela não sabia para onde), sem nunca encontrá-lo", destaca a reportagem.

"A queixa crime contra o youtuber se deu em virtude de um vídeo a respeito de um episódio de racismo que tinha ocorrido na Faculdade de Direito da USP em Ribeirão Preto", relembra a reportagem. "Nele, Nando Moura se referia a uma estudante negra que havia tomado parte em protestos contra a manifestação racista. Suas palavras que ensejaram o processo penal foram: "É isso que você quer, não é, sua vagabunda?Se fazer de coitada para conseguir mamar nas tetas do governo. É ou não é? É claro que é!", dispara o youtuber. Ele ainda xingou a estudante de "vagabunda" em mais duas ocasiões.


O vídeo foi retirado do Youtube, mas segue anexado aos autos processuais. A defesa de Nando nega a existência do crime sob a alegação de que ele teria feito um "exercício claro e inalienável de seu direito de expressão".


Fonte: Brasil 247
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário