sábado, 6 de abril de 2019

1 ano da prisão de Lula por uma reforma que não aconteceu num apartamento que não era dele

Amanhã fará um ano: 7 de abril de 2018. O ex-presidente Lula foi preso, por ordem de Sergio Moro, após ser condenado por uma reforma que não aconteceu em um apartamento que nunca foi dele.

O juiz que mandou prendê-lo, 6 meses depois, foi nomeado ministro da Justiça. Várias manobras judiciárias ilegais foram feitas para impedir sua soltura desde então.


Lula, mesmo preso, ganharia a eleição. Mas em decisão inédita o TSE impediu que ele participasse. Tambbém inédita na história do país foi a decisão que o proibiu de gravar vídeos para a campanha de Haddad, de dar entrevista e de sequer usar sua voz.


Lula não está preso, está sequestrado em Curitiba. Condenaram o ex-presidente a uma prisão perpétua e ao silêncio. Não se pode nem ouvir sua voz ou ver seu rosto. Sua única aparição foi no velório de seu netinho. A polícia proibiu até vídeos dentro do evento, outra proibição inédita, para que Lula não fosse filmado ou fotografado ao lado de seus pares.


Mas o que mais revolta é o silêncio e a apatia do PT e dos movimentos sociais quanto à prisão de Lula. Apesar do acampamento Lula Livre dar apoio ao ex-presidente em todo esse tempo e fazer um trabalho sensacional, ficou apenas nisso. Não se organizam grandes atos pela liberdade de Lula, quem o deveria fazer (PT e movimentos sociais) transfere a responsabilidade para a militância, que obviamente não tem poder para organizar atos sem apoio político.

Esperava-se mais luta. 


Fonte: Brasil 247
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário