sexta-feira, 8 de março de 2019

Bolsonaro critica, nas redes sociais, curso do Banco do Brasil contra assédio moral e sexual

Na véspera do Dia Internacional da Mulher, o presidente Jair Bolsonaro utilizou seu perfil no Facebook para criticar, nesta quinta-feira, o Banco do Brasil por oferecer a servidores um curso interno de diversidade e de prevenção e combate ao assédio moral e sexual. Além de avisar que havia ordenado á cúpula do banco que abolisse a formação, chegou a aconselhar os postulantes a cargos na instituição que procurassem a Justiça.

Na avaliação do presidente, questões relacionadas a assédio moral e sexual, além de diversidade, deveriam ser tratadas na área da educação. Bolsonaro, no entanto, confundiu a finalidade do curso ao fazer sua crítica. Disse que era um requisito para passar num concurso público do banco, mas as aulas fazem parte, na verdade, do processo interno de formação e promoção de funcionários.
A instituição oferece vários cursos online de aprimoramento para os servidores. Eles somam pontos que classificam os bancários para promoções que surgem dentro do Banco do Brasil. A maior parte é optativa. A única exigência é que seja feito o conjunto de aulas que trata de ética, respeito no trabalho, fim de preconceito e combate ao assédio. O tema é considerado prioritário e, por isso, é o único conjunto que o BB diz que deve ser feito durante a jornada de trabalho. Bolsonaro, entretanto, atacou a exigência desses cursos numa seleção interna para assistente técnico.

Fonte: O GLOBO
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário