GOLPE DURO PARA BURGUESADA: Lula foi capa do maior jornal francês e Papa Francisco se manifestou

A carta de Lula, direto da prisão, foi capa de destaque do mais importante jornal francês, o Le Monde.

Rússia e China: pesadelo dos EUA se torna realidade

A nova política dos EUA em relação à China está levando à aproximação entre Moscou e Pequim, comenta o analista russo Timofei Bordachev.

URGENTE: Lava Jato pode ter fraudado documentos para incriminar Lula; CONFIRA CÓPIAS!

Surgem novos documentos que podem comprovar o que declarou o deputado Sibá em um encontro realizado no último sábado (5).

Lula preso sem provas, Paulo Preto ''com cem milhões" solto. Justiça?

Se alguém do campo progressista ainda tinha dúvidas sobre o posicionamento político do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foram relembrados nesta sexta-feira, 11.

Engenheiros da Petrobrás dizem que política de preços de combustíveis beneficia grupos estrangeiros

A AEPET reafirma o que foi expresso no Editorial “Política de preços de Temer e Parente é ‘America First!’ “, de dezembro de 2017.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

Lula se contrapõe a Bolsonaro e defende uso de máscaras pela população

 


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foi mantido como preso político durante 580 dias e teve seus direitos políticos violentados para que Jair Bolsonaro chegasse ao poder e assim pudesse implantar um choque neoliberal, retirando direitos dos trabalhadores e garantindo a entrega do petróleo e de riquezas nacionais, usou suas redes nacionais para defender o uso de máscaras, a vida e a ciência. Foi uma resposta a Bolsonaro, que no auge da pandemia, criticou as máscaras.



Cuide de você e de quem você ama. Use máscara. #equipeLula Foto: Ricardo Stuckert
Image


Fonte:  Brasil 247

Delação de Nythalmar pode implodir a Lava Jato carioca e o juiz Bretas

 


Um nota publicada no site Migalhas, especializado na cobertura do Judiciário, fez tremer a Lava Jato fluminense, dado o potencial explosivo de seu conteúdo. Compartilhada em redes sociais pela advogada Ana Basílio, esposa do desembargador André Fontes, do TRF-2, a informação dá conta de que o “craque dos advogados criminalistas do Rio” teria realizado um acordo de colaboração com o Ministério Público, cujo conteúdo iria “corar até os meninos de Curitiba”. A tradução livre da nota é simples: Nythalmar Dias Ferreira efetivamente teria delatado fatos graves e antirrepublicanos de sua relação com o juiz da 7ª Vara Federal, Marcelo Bretas.



Acusado de vender facilidades junto ao magistrado, Nythalmar está sendo investigado em ação no STJ. A ação foi avocada ao tribunal superior pelo presidente Humberto Martins por envolver juízes e desembargadores federais.




Em conversa com a Agenda do Poder, a advogada Ana Basílio esclarece desconhecer a identidade do “craque dos advogados criminalistas cariocas” referido na publicação de autoria do portal Migalha. E que apenas transcreveu a nota do site noticioso, sem qualquer juízo de valor. Ana Basílio foi umas da vítimas da operação de busca e apreensão, autorizada por Marcelo Bretas, contra advogados, supostamente envolvidos em irregularidades na Fecomércio. Autoritária e controversa, a operação é objeto de um pedido da OAB ao STF para que tenha seus efeitos anulados, por tentativa de criminalização da advocacia.

Há outras indicações de que situação de Marcelo Bretas começa a se complicar. Em entrevista ao jornalista Tales Farias, o ministro Gilmar Mendes, do STF, afirmou que há muitas névoas sobre os fatos verificados na 7º Vara Federal. Indagado se Bretas poderia se tornar um novo Sérgio Moro por conta dos abusos também contra os direitos individuais do réus, Gilmar afirmou :



– Não é e nem será. Há muitas nuvens que falam o que está ocorrendo no Rio. Agora recentemente os juízes do TRF começam a se dar por suspeitos e dizendo que não tem condições de julgar como antes. E fica toda essa névoa. Recentemente, o STJ requisitou a pedido de um advogado, chamado Nythalmar, que operaria as delações no Rio de Janeiro. Enfim tem muito névoa sobre isto. E é preciso que isto seja logo esclarecido.

Fonte: Agenda do Poder

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

Depoimentos forjados por Erika Marena levaram reitor da UFSC ao suicídio.

 


Um dos episódios mais dramáticos e tristes da operação Lava Jato, foi protagonizado pela delegada da Polícia Federal, Erika Marena e a citação do reitor Luiz Carlos Cancellier, da Universidade Federal de Santa Catarina, que o levou ao suicídio.


Na época, Cancellier não suportou a vergonha, não só de ter sido citado, mas, ao ser preso em uma operação “espetaculusa”, como as da Lava Jato, o reitor passou por revista e procedimentos em que ficou nu em público, entre outras humilhações.



O caso fez com que houvesse diversos questionamentos sobre os métodos lavajatistas e Marena foi tida como culpada do suicídio, mas, jamais responsabilizada legalmente pela tragédia sequer foi exposta na mídia. O pior veio agora, já que os depoimentos que levaram à prisão de Cancellier teriam sido forjados e o reitor virou bucha, na ânsia de criar fatos e escândalos contra os governos petistas. Ao forjar fraudes no ministério da educação, atingiu a UFSC e, por conseguinte, seu reitor.

No bolso do reitor, após o ato de suicídio, havia um bilhete que dizia: “Minha morte foi decretada quando fui banido da universidade.”



E agora, quem vai ressarcir o dano causado pela delegada e sua operação fajuta da Lava Jato?



Fonte: A Postagem

Ligação entre Queiroz e miliciano salva investigação da rachadinha

 


As mensagens trocadas pelo policial militar aposentado Fabrício Queiroz com a ex-mulher do miliciano Adriano da Nóbrega são as provas que podem permitir sobrevida à investigação do caso das “rachadinhas” no antigo gabinete do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Elas são as únicas obtidas de forma totalmente independente de relatório do Coaf (órgão federal de inteligência financeira), que ainda está sob risco de anulação em julgamento no STJ (Superior Tribunal de Justiça). Se esse documento for considerado ilegal, uma investigação sobre Queiroz pode ser reaberta a partir dessas mensagens.



As transações imobiliárias suspeitas de Flávio, reveladas pela Folha em janeiro de 2018, também poderiam ser usadas para uma eventual abertura de nova investigação em caso de anulação do relatório do Coaf pelo STJ. Contudo um arquivamento do procedimento sobre os imóveis do senador “contaminou” essa alternativa.

Fonte: Folha de São Paulo